Zona de Conforto – Um Risco em Se Sentir Confortável e Seguro

O Risco da Zona de Conforto

Existe um risco em você se sentir confortável e seguro na sua zona de conforto.

Você já deve ter ouvido falar daquele ditado de que: “O que não está crescendo está morrendo”. Uma planta por exemplo, ou ela cresce sempre buscando se enraizar e crescer seus ramos e suas folhas pra alcançar mais sol. Ou uma empresa, ou elas estão crescendo ou elas estão morrendo. A gente também é assim, ou a gente cresce ou a gente morre.

A zona de conforto é muito isso também. A gente se sente seguro numa redoma onde a gente tem medo de se arriscar e fazer alguma coisa nova porque é desconhecido e a gente pode se machucar. Mas ao mesmo tempo a gente fica naquilo, a gente não busca nada melhor por medo de sair da zona de conforto, mas ao mesmo tempo ficar nessa zona de conforto pode ser a sua sentença de morte.

E pra isso, eu quero te dar um exemplo do sapo. Eu não sei se você já ouviu a história do sapo fervido. Alguns biólogos fizeram experimento com sapo.

Pega um sapo numa lagoa, tira ele e coloca numa panela, mas com a água da mesma temperatura da lagoa que ele estava e aí sapo vai ficar confortável, na zona de conforto dele. Enquanto ele está lá, você liga no fogo baixinho e deixa essa água esquentar.

O sapo não vai perceber a diferença de temperatura, ele vai esquentando gradualmente e acha que está na zona de conforto dele e continua tranquilo.  A água ferve, o sapo morre sem nunca ter se debatido, sem nunca ter tentado sair daquilo. Por que? Porque ele estava na zona de conforto dele.

Mas se você pegar esse mesmo sapo e jogar ele numa água quente, ele vai pular da água mesmo machucado e vai se salvar. Eu posso falar que isso é uma metáfora pra mostrar o risco que é a gente se manter na zona de conforto.

Talvez você possa aplicar isso na sua própria vida e fazer uma reflexão agora se você está de alguma forma em alguma área da sua vida sendo cozinhado vivo, numa zona de conforto onde a água está esquentando e você não está percebendo. Pra fazer isso as vezes é difícil a gente fazer as mudanças quando as mudanças são muito vagarosas, muito homeopáticas ao longo do tempo.

Pensa como era sua vida a alguns anos atrás. Como era a sua vida a cinco anos atrás, como ela é hoje? O que que aconteceu nesses anos, nesse tempo na sua vida?

Será que a sua vida está do jeito que você planejou quando você começou num novo emprego, quando começou um novo relacionamento, quando você começou a fazer alguma coisa ou você foi aos poucos sendo absorvido por aquelas obrigações, por aquelas necessidades e deixou de fazer aquilo que você realmente queria e você hoje se vê sendo cozido, numa zona de conforto que não tem nada de confortável.

Então, como fazer pra não correr esse risco? A gente precisa buscar novas formas de fazer aquilo que a gente já faz, não adianta você ser efetivo, que é fazer certo as coisas que você está fazendo, mas sim tem que ser eficaz. Tem que fazer aquilo que vai gerar um resultado melhor que você está tendo.

É isso aí, a sacada de hoje é essa!

Se gostou, comenta, compartilha!

Valeu!

André Sampaio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.