Como Melhorar sua Memória Instantaneamente

COMO MELHORAR SUA MEMÓRIA INSTANTANEAMENTE

Opa, aqui é o André Sampaio, do Superando Seus Limites e do CONAPNL.

Eu recebi um e-mail de um seguidor falando sobre memória, no qual ele diz que tem uma memória ruim. E, olha, memória não é uma coisa que você ou tem boa ou tem ruim. É como um músculo que você exercita.

E, principalmente, memória é uma questão de estratégia. Existem estratégias para melhorar a memória. Eu, quando estava na faculdade, sempre que eu estudava, eu nunca fui um grande estudante na época de colégio. Mas depois, para estudar para o vestibular, eu tomei gosto pelo estudo, pela leitura, e daí não parei mais de estudar, fiquei apaixonado. Por que?

Por que eu aprendi boas estratégias de estudo. E quando eu estava na faculdade, eu reparei que intuitivamente eu fazia uma coisa que eu via que as outras pessoas não faziam. E eu acabava indo bem, me dando bem nas provas, e tudo bem. E o que eu fazia?

Quando todo mundo estava lá, olhando para baixo, “Ah, meu Deus do céu! Eu não posso olhar para os lados, se não o professor vai achar que eu estou colando!”, então ficavam só olhando para baixo. E eu, não. Eu, naturalmente, quando eu não sabia a questão, “Nossa, como é que é mesmo?”, eu naturalmente olhava para cima.

Para cima não tinha como falar que eu estava colando, então eu ficava assim, cruzava os braços e relaxava, tentando lembrar qual que era a resposta para a questão da prova. E, normalmente, funcionava. Só depois, quando eu fui estudar programação neurolinguística, é que eu fui descobrir que a posição dos olhos são pistas, são chamadas pistas de acesso, que conectam o nosso cérebro com certos sistemas.

Então quando você olha para cima, você está conectado com o sistema visual. Quando você olha para os lados, você está no sistema auditivo. E quando você olha para baixo, você está no sistema sinestésico. E a nossa memória, o nosso cérebro trabalha com imagens. A gente memoriza por imagens.

Se eu te perguntar o que é uma maçã, você irá formar a imagem de uma maçã na sua mente. Se eu te fizer a pergunta “Quantas portas existem na sua casa?”, não tem como você me responder. A não ser que você já saiba isso de cor, não tem como você me responder se você não fizer a imagem da sua casa, de você entrando na sua casa, e vira para o lado na porta um, vira para o outro na porta dois, e aí tem a porta três da cozinha, e aí você anda mais um pouquinho e tem a porta quatro, cinco… por que?

Por que você vai fazer a imagem. Então se a gente não se conectar com o sistema visual, a gente está prejudicando muito a nossa memória. Então quando você for memorizar alguma coisa, entra no sistema visual, olha para cima e faz imagens. Mesmo que seja uma palavra, um sentimento ou qualquer coisa que você queira, trabalha com imagens.

Existem algumas técnicas, métodos mnemônicos que ensinam isso, mas eu não vou entrar nisso agora, mas basicamente quando você quer memorizar alguma coisa, uma lista de palavras, você pega aquilo que você quer memorizar e vincula aquilo a uma imagem geralmente bizarra que você não vai esquecer.

Então eu fazia isso inconscientemente, intuitivamente eu olhava para cima, ia para o visual. E também outra coisa que eu fazia era estudar com mapas mentais; é também uma forma de você estruturar uma imagem de toda a matéria, de tudo aquilo que você quer e visualizar aquilo. Então você tem uma fotografia com uma imagem do todo, o que vai te ajudar depois a recuperar essas informações.

Uma coisa que eu faço também com números de telefone é sempre imagina no teclado qual a sequência, o caminho que os números fazem. Então daqui, vem para cá, faz um triângulo, faz um quadrado, vai e volta. Então eu visualizo o caminho dos números, eu não fico só no auditivo, ficar repetindo os números na mente, por que uma hora você vai esquecer. Mas quando você visualiza as imagens, eu faço também esse caminho.

Na década de 80, o John Grinder e o Richard Bandler, os criadores da programação neurolinguística, fizeram um estudo, uma experiência com alunos medianos, alunos absolutamente normais de uma universidade no Canadá. E eles pediram para fazer o teste, aquela coisa de soletrar as palavras, então eles queriam memorizar as palavras. Então pegaram quarenta e quatro alunos normais e medianos, nada fora da curva, nem acima e nem abaixo. Normais.

E separaram eles em quatro grupos e deram para eles uma lista de palavras para eles memorizarem. No primeiro grupo, eles falaram para os alunos assim: “Olha, quando vocês estiverem memorizando, olhem para cima e para a esquerda”, que é a pista de acesso visual lembrado.

Visual lembrando, para cima e esquerda; visual construído, para cima e direita. Quando você constrói a imagem. Então eles mandaram o grupo um olhar para cima e para a esquerda na hora em que estivesse memorizando aquela lista de palavras. Para o grupo dois, eles falaram: “Olha, visualizem”.

Simplesmente visualizem as palavras na hora em que vocês estiverem memorizando. Então não falaram nada sobre onde olhar, se para cima, para baixo, para os lados…. Nada. Simplesmente, visualizem. Para o grupo três, eles disseram: “Olhem para baixo quando estiverem memorizando as palavras”.

Então eles tinham que memorizar olhando para baixo. E para o grupo quatro não falaram nada sobre visualizar. Disseram: “Simplesmente estudem e entendam cada palavra quando estiverem memorizando”. Resultado: o grupo um, que era aquele que tinha que olhar para cima e para a esquerda, conseguiu alcançar uma performance 25% maior do que tinha sido antes de realizar esse teste.

Melhoraram 25% simplesmente por olharem para cima e para a esquerda. O grupo dois, que é aquele para o qual eles disseram “Simplesmente, visualizem”, independentemente de onde vai o olho, melhorou 10%. O grupo três, que é aquele que olhou para baixo enquanto estava memorizando, sendo que para baixo é o sistema que te conecta com o sinestésico, as emoções, aquela coisa, eles pioraram a performance na memorização em 15% simplesmente por olharem para baixo.

Então olha lá: olhou para a cima e para a esquerda, melhorou 25%; olhou para baixo, piorou 15%. E aqueles que foram simplesmente instruídos a estudar as palavras enquanto estavam memorizando tiveram o mesmo resultado. Então isso demonstra claramente a capacidade e o poder que tem as pistas de acesso quando você quer memorizar qualquer coisa. Primeiro, vai para a estratégia visual, saia da estratégia auditiva e entre na estratégia visual.

E você com certeza já vai ter um incremento absurdo de memória, de memorização. Você vai conseguir resgatar as imagens com muito mais facilidade. E, mais uma vez, você tem muitas técnicas de memorização. Não me cabe aqui a falar sobre isso. Mas eu posso te dizer que todas elas envolvem imagens, envolvem o sistema visual.

E é isso aí.

É importante para mim ter um feedback de você. Se você ainda não está inscrito no meu canal do YouTube, inscreva-se.

Se você acha que pode ajudar alguém, compartilha. Compartilha com alguém.

E deixa o seu comentário também, se quiser fazer alguma pergunta ou sugerir algum tema, tiver alguma dúvida, deixa um comentário aqui. Vai ser legal ter essa conversa, ter esse diálogo com você.

Então é isso aí, fico por aqui e até a próxima.

Para mais sacadas de PNL acesse:
http://bit.ly/ssl-vip

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.